UX Design

A importância da experiência do usuário no desenvolvimento de softwares

Postado por: em 22/06/2021
experiência do usuário no desenvolvimento de softwares

A experiência do usuário tem sido algo tão fundamental para os negócios que até o Google já criou um critério de ranqueamento baseado nesse fator. Mas e quando o assunto é a experiência do usuário no desenvolvimento de softwares, isso é diferente? Provavelmente você já sabe que a resposta é não!

Ao desenvolver um aplicativo, plataforma ou software, muitas empresas costumam priorizar as funcionalidades em detrimento da usabilidade. Essa escolha acaba deixando as soluções digitais difíceis de interagir, confusas e sem atender às expectativas e necessidades dos usuários.

Seguir os processos de criação e desenvolvimento com uma mentalidade focada no usuário ajuda a garantir que a empresa não apenas crie um produto que seja comercialmente competitivo, mas também útil.

Priorizar UX no seu processo de desenvolvimento de software não se resume apenas em aplicar técnicas ou ferramentas específicas de design. Mas sim ter toda uma mentalidade necessária e envolver todos os aspectos do projeto.

Ter essa mentalidade centrada no usuário é sobre focar nos usuários e suas necessidades em cada fase do processo de desenvolvimento do produto. Desde a primeira reunião sobre o projeto, o usuário precisa ser o centro. 

É necessário compreender as dores dos usuários e desenvolver um produto que os ajude a resolvê-las do jeito mais simples e intuitivo possível. 

Desenvolver uma solução digital é um processo que demanda bastante pesquisa, levantamento de dados e testes com usuários reais. Dessa maneira é possível desenvolver uma solução que agrega valor real aos usuários e tem maiores possibilidades de conquistar sucesso no mercado.

Pensando nisso, construímos esse conteúdo para mostrar um pouco mais sobre a importância da experiência do usuário no desenvolvimento de softwares.  

 

Aspectos que definem a qualidade da experiência do usuário em um software

 

A Kryptus, empresa multinacional brasileira, que entrega soluções de criptografia e segurança cibernética, compartilhou em seu blog um conteúdo muito rico com alguns pontos que precisam ser levados em consideração quando o assunto é experiência do usuário no desenvolvimento de softwares.

Reunimos os aspectos destacados pela Krytus com outros pontos bem importantes. Vamos lá!

  • Usabilidade: os usuários precisam completar as ações dentro do sistema com facilidade;
  • Valor: é fundamental que o produto entregue aos usuários algo que eles realmente queiram ou precisem;
  • Adotabilidade: o software precisa ser de fácil adoção, ou seja, quão fácil é para que os usuários comecem a usar o produto? É necessário levar em consideração desde um possível download e cadastro até a conclusão da ação inicial; 
  • Desejabilidade: é importante que a experiência de uso desejável, agradável, intuitiva e, até mesmo, divertida. 

Ainda sobre aspectos que precisam ser levados em consideração para proporcionar uma boa experiência para o usuário em seu software. A Faber Castell, montou um material com um chamado “Experiência do usuário: user experience – um checklist para aumentar a criatividade em seus novos projetos”

Neste material, eles elencam cinco pontos importantes que um projeto precisa ter para proporcionar uma boa experiência: 

  • Simplicidade
  • Relevancia
  • Acionabilidade
  • Agradabilidade
  • Inteligencia

Esses pontos conversam claramente com os pontuados pela Kryptus e, assim, podemos validar a necessidade de que a experiência do usuário vai ser gerada a partir de aspectos multissetoriais – negócio, design, texto, desenvolvimento, etc.

 

Por que terceirizar o desenvolvimento de um software personalizado

 

Etapas para criar um software focado na experiência do usuário

 

Para desenvolver softwares que atendam aos aspectos falados no tópico anterior, as atividades de UX incluem algumas etapas:

 

Compreensão do problema

 

Essa importante diretriz do design thinking, também é fundamental para um bom trabalho de UX. Ela tem início com a compreensão real de que a demanda e do problema que um produto precisa resolver. Parece que é a mesma coisa, não é mesmo? Mas não é! 

Por exemplo, se pensarmos em um aplicativo de delivery de comida, a demanda pode ser “preciso de um aplicativo no qual entregadores possam realizar um cadastro e consumidores possam solicitar seus serviços”. Já o problema deste projeto poderia ser “existe uma parcela de 25% da população, em um determinada região, que precisa de mais opções eficientes de delivery e que não está sendo atendida.” 

Então, nesta etapa é muito importante entender detalhadamente a demanda e o problema. 

 

Pesquisa

 

Na etapa de pesquisa é o momento de elaborar as perguntas e criar hipóteses para aprofundar o conhecimento a respeito do problema e, então, buscar as respostas. 

Vamos continuar no mesmo exemplo! Poderíamos perguntar “por que as atuais plataformas de delivery não atendem as pessoas de forma eficiente? A partir daí, levantamos algumas hipóteses. Falta rapidez? Faltam recursos? Falta acessibilidade? Faltam integrações? Falta segurança?” 

As respostas para essas questões virão dos próprios usuários. Por isso, nesta etapa do projeto é necessário: entrevistar pessoas, estudar os concorrentes, analisar o mercado e, a partir disso, conceber caminhos para a solução.

 

Protótipos

 

Com o problema compreendido, chegou a hora de criar protótipos que atendam a todos os pontos identificados na pesquisa. No que diz respeito à tecnologia, esses protótipos costumam ser wireframes das interfaces que apresentam de forma visual o que o software a ser desenvolvido deve conter e como todas as suas funcionalidades são organizadas. 

Sendo assim, esse wireframe é a primeira materialização e atividade essencial de UX no projeto. É o momento de traçar qual será a jornada do usuário, desde o primeiro acesso até a conclusão completa da ação.

 

Testes e aprovação

 

Nesta etapa, é o momento de testar os protótipos, de preferência, com um grupo de usuários reais.

Eles devem testar tudo! Acessibilidade, funcionalidades, elencar dúvidas, analisar desempenho, usabilidade e etc. A partir dessa testagem, será possível indicar os pontos fortes e fracos do protótipo, apresentar dúvidas, apontar dificuldades de uso e, o mais importante, sugerir mudanças.

 

Ajustes

 

Depois que os testes foram realizados e todos os feedbacks recebidos foram analisados e momento de fazer as melhorias no protótipo. Elas devem ser aplicadas sempre visando atender com o máximo de precisão a demanda do projeto e as necessidades dos usuários.

É válido ressaltar que essas etapas do protótipo – testes e ajustes não acontecem uma única vez ao longo do projeto. Principalmente se ele se baseia em metodologias ágeis, que preveem entregas contínuas. 

Todos esses processos acontecem concomitantemente ao desenvolvimento. Durante toda a construção da solução, os profissionais de UX trabalham diretamente com os desenvolvedores e gestores. 

 

***

Vimos que a experiência do usuário no desenvolvimento de softwares é fundamental para a criação de uma solução digital. Por isso, ela envolve tantos aspectos e setores. Afinal, se o usuário, que é quem vai realizar as ações necessárias dentro do seu software não for o alvo, quem será? 

Continue recebendo nossos conteúdos em primeira mão! Assine nossa newsletter e siga a Rits no LinkedIn. 

Até a próxima.